Pesquisar este blog

Carregando...

domingo, 6 de fevereiro de 2011

"A sala de aula".

A sala de aula é um lugar opressor?

Vejamos o que diz José Carlos Souza Araujo, à questão da sala de aula como lugar, a um só tempo político e pedagógico, o discurso contra o poder é articulado tendo em vista a realização de um trabalho pedagógico preocupado com a exploração  e a dominação, exercidas por uma classe. Trata-se de lidar com as contradições de classe, vale dizer com os oprimidos contra os opressores. E a sala de aula é um espaço disponível para isso, que precisa ser aproveitado. A superação das contradições de classe significa libertação. O trabalho pedagógico em sala de aula, se não tiver isso em mira, é opressivo, a-politico e a-crítico.
Gostou? Comente.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

O trabalho do diretor e coordenador pedagógico: "A sala de aula".

Este é um breve relato das obrigações do diretor e coordenador pedagógico com a escola.
Administrar uma escola não deve ser fácil, mas um bom administrador sabe delegar as tarefas. Dentro da escola não é diferente. Funcionário para cada e devida função. É o que vemos na escola, professor, auxiliar de limpeza, merendeira, secretários, coordenadores, vicies e mais.
De acordo com o Regimento Escolar, Artigo nº. 129/2006-Resolução CEE/TO, "a função de coordenação pedagógica é o suporte que gerencia, coordena e supervisiona todas as atividades relacionadas com o processo de ensino e aprendizagem, visando sempre à permanência do aluno com sucesso."

O diretor se preocupa com todos e com o que cada um faz. A integração do público interno e externo, a adaptação dos alunos, organização e controle, planejamento, finanças, avaliação de resultados e relatórios fazem parte da tarefa do diretor.

Já o coordenador pedagógico está voltado para exercer a função de organização dos professores em orientação com o material que será trabalhado na sala de aula e na escola. Esta função é de suma importância e de suma responsabilidade, pois o pensamento deste está no que o aluno irá aprender e como ele irá aprender, e se será útil para o seu desenvolvimento em geral. Dentre estas existem muitas coisas a serem feitas por eles, mas o foco desse blog é a "A sala de aula".


Dentro desta perspectiva do trabalho do diretor e do coordenador pedagógico fica focado o auxilio do professor como protagonista principal das orientação do diretor e coordenador, cabe aqui não desmerecer a autonomia do professor na sala de aula. O contato dos alunos com o professor em sala de aula sobressai em termo de afinidade e respeito. O professor goza das prerrogativas entre seu ambiente de trabalho.

A supervisão pedagógica do ensino ainda é muito fragilizada em algumas escola públicas, o que dificulta o trabalho do professor. José Carlos Souza Araújo, p. 49, 50 diz que:

...a sala de aula é um lugar que faz circular intenções e projetos, os quais são fruto da vontade socializada dos adultos, urge que a concepção histórico-crítica se debruce sobre o pedagógico, para torna-se também teoria pedagógica.

Não se pode, porém, sobrestimar a sala de aula, porque ela é apenas parte do fenómeno educativo escolar; e a escola é apenas parcela do fenómeno educativo que se desenrola pelo processo de nossa existência.

Muito pouco se pode interferir no processo de ensino, a menos que autorizados pelo professor, cujo protagonismo no cenário da sala de aula é irrefutável. mesmo a equipe gestora de uma escola tende a consider este lugar (a sala de aula) como de uso restrito. esta mantalidade se incorpora de tal forma que começa a se neutralizar a idéia de que o trabalho pedagógico pertençe apenas ao professor, não cabendo nenhum tipo de controle social sobre como se desenrola, mesmo quando este ocorre de forma disjuntiva com o projeto da escola. LUDKE & SORDI (Revista da Avaliação da Educação Superior v. 1, n. 1 (jul.1996)

Segundo Maura Barbosa, coordenadora pedagógica, em uma entrevista a revista Nova Escola salienta “Tudo o que acontece é importante para saber se as condições de aprendizagem estão garantidas.” Segundo ela, o diretor está cuidando do lado pedagógico quando se preocupa com a qualidade do ensino, observa e analisa detalhes da rotina escolar. “Se os alunos saem constantemente da sala de aula e demoram a voltar, é indício de que algo não deve estar funcionando bem dentro da classe e isso precisa ser averiguado”. Ainda acrescenta a coordenadora do estado Laura Bandoni de Oliveira: Os diretores de escolas britânicas não só acompanham o que se passa nas classes mas também não deixam de ser professores e dar pelo menos uma aula por semana. Para ela, essa interação é essencial para o bom funcionamento da equipe. “O diretor precisa entender a dinâmica da sala de aula para conseguir compreender em detalhes a realidade de sua escola". De sua opinião.

"Os diretores fazendo o papel de professores". Você acredita que isso pode aconteçer aqui no Brasil?